Pilares norteadores

Atualmente realizamos a premissa da sustentabilidade através da proteção, valorização e desenvolvimento da biodiversidade com ações para restaurar o cerrado, colaborando com o desenvolvimento da fauna e flora locais. Fechamos os ciclos da terra facilitando com que a água retorne para o solo através de ações de retroajuste ambiental e plantio de árvores equilibrando as emissões de CO2 e, ainda, colaboramos com o desenvolvimento do nicho para fauna e flora. Priorizamos também a proteção de solo, assim não perdemos solo por erosão laminar.

Sobre as atividades humanas, uma das grandes preocupações sociais hoje é a questão do esgoto, que aqui é tratado individualmente em cada lote e da mesma forma são separados os resíduos. O uso de alternativas com energias renováveis é recomendado, porém não obrigatório. Cada morador é responsável por toda a água que cai em seu terreno utilizando infiltradores, reservatórios de água pluvial.

Sobre os parâmetros de sustentabilidade adotados

Organizamos nossos pilares norteadores em atividades ambientais (biodiversidade, ciclos da terra e proteção de solo) e atividades humanas (relacionamento, recursos e resíduos), apesar de que todas elas envolvem pessoas e meio ambiente, mas apenas de forma a distinguir o foco de impacto de cada conjunto de ações.

As atividades ambientais:

  • Biodiversidade

O termo biodiversidade – ou diversidade biológica – descreve a riqueza e a variedade do mundo natural. As plantas, os animais e os microrganismos fornecem alimentos, remédios e boa parte da matéria-prima industrial consumida pelo ser humano.

Visando sempre a observação e o retroajuste ambiental, desenvolvemos de ações para que a água infiltre na terra como jardins de chuva, trincheiras e infiltradores. Foram plantadas entorno de 150mil árvores aumentando a biodiversidade, enriquecendo o solo e captando CO2. Criamos nicho para fauna e flora, atualmente temos animais de topo de cadeia reproduzindo na ecovila.

Quanto mais rico o ambiente, mais espécies estão integradas. No início da sociedade existiam pouco mais de 200 e atualmente temos mais de 600 espécies, sem que fosse realizada qualquer ação direta em trazer animais, sendo este aumento uma resposta natural do ambiente.

  • Proteção de solo

Seguido pelo desmatamento, o pastoreio excessivo, cultivos em ladeiras inclinadas e falta de uso de práticas de proteção conduzem o solo a erosão. Esse fenômeno afeta o papel dos solos na vitalidade dos ecossistemas, reduzindo sua capacidade de atuar como filtro de contaminantes, de colaborar com ciclo hidrológico e ciclagem de nutrientes, de prover habitats para a biodiversidade e depósito de carbono.

  • Ciclos naturais do planeta

Os ciclos da natureza têm a ver com a forma como a terra se renova. As coisas vivas dentro de um ecossistema interagem uns com os outros e também com o seu ambiente não vivo, para formar uma unidade ecológica, que é em grande parte auto-suficiente.

No solo ocorrem a ciclagem e o armazenamento de nutrientes necessários ao desenvolvimento das plantas. O solo também é um imenso reservatório de água, sendo fundamental no processo de abastecimento do lençol freático e de aquíferos.

 

Retroajuste ou Reabilitação Ambiental

Hoje percebemos uma deficiência no ambiente social, mostrando o direcionamento a uma atenção especial para as relações, visando fortalecer a conexão dos moradores e ainda um maior envolvimento dos funcionários. Percebemos ainda oportunidades de melhoria na nossa gestão de resíduos, qualidade nas infraestruturas e desenvolvimento do nosso ambiente natural.

Após 15 anos de implantação a Ecovila Santa Branca sente que atingiu seus propósitos iniciais e assume novos desafios com melhorias e um crescimento orientado para direcionar esta nova etapa aprendendo com os erros, ouvindo a comunidade e checando quais objetivos não foram atingidos anteriormente para assim definir: qual é a evolução dessa comunidade e o caminho de escolha dela.

 

X